You are currently viewing Banco digital vale a pena?
Compartilhe

Há alguns anos os bancos digitais eram uma super novidade. O que fazia muita gente torcer o nariz, afinal as instituições bancárias já estavam super consolidadas e transmitiam segurança para o cliente, mesmo com diversas reclamações que esses sempre tinham a fazer. Mas o público estava disposto a confiar seu dinheiro à essa nova tecnologia e os motivos eram: taxas competitivas, menos burocracia, maior flexibilidade e melhor atendimento ao cliente.

Em 2019, a Forbes fez um levantamento sobre os melhores bancos brasileiros e surpreendentemente (ou não) os três primeiros eram digitais, sendo eles: Nubank, Inter e Neon, respectivamente. E segundo a consultoria Boston Consulting Group, no início de 2019 o Brasil contava com 11 milhões de novas conta, sendo que segundo estimativa 500 mil a 1 milhão contas eram abertas mensalmente aqui no Brasil.

Em geral os bancos digitais oferecem conta corrente, cartão de crédito e TEDs gratuitas para qualquer banco. Sem adentrar nas peculiaridades, alguns oferecem saques gratuitos, outros cobram, mas todos podem sacar nas redes Banco24Horas.

O que os bancos digitais trouxeram de novo para a nossa rotina? Não há mais necessidade de ir à agências bancárias, já que agora quase tudo pode ser resolvido online, pois os aplicativos são pensados para serem o mais eficientes possível. Para ter um atendimento, o tempo gasto é muito reduzido, podendo resolver quase todos os problemas através de chats onlines. A linguagem é mais simplificada, com o objetivo de ser acessível a todos.

Mas precisamos ter atenção, uma vez que bancos digitais e bancos digitalizados são diferentes. Hoje em dia, muitos bancos tradicionais estão se digitalizando, oferecendo produtos digitais, mas cuidado, pois apesar de oferecerem condições melhores, a movimentação sem cobrança de taxas é limitada.

Então, na hora de contratar um banco digital, fique de olho no que ele oferece e pesquise para entender qual é que melhor se encaixa nas suas necessidades.

Deixe um comentário