You are currently viewing COMBATE À TUBERCULOSE | Profissionais de saúde dos 15 municípios iniciam semana de qualificação em atendimento
Compartilhe

Em Roraima, o Núcleo de Controle de Tuberculose desenvolve diversas ações visando orientar e fortalecer o combate à doença no Estado, por meio de capacitações ministradas por especialistas, profissionais de saúde dos 15 municípios, que fortalecem a atenção para esse agravo.

Garantindo o aperfeiçoamento do serviço de atendimento, todos os anos, profissionais da saúde da rede estadual e atenção básica devem passar por qualificações. Em 2020, por conta da pandemia, não foi possível realizar a capacitação, mas, este ano, o evento retorna e será realizado entre os dias 18 a 26 de novembro, atendendo todos os protocolos de segurança contra a Covid-19.

Voltada para profissionais da rede hospitalar e saúde indígena, a capacitação reúne cerca de 40 profissionais, entre médicos, enfermeiros e farmacêuticos, que participaram do primeiro dia de capacitação, nesta quinta-feira, das 8h30 às 12h e de 14h às 18h.

De acordo com a gerente do Núcleo de Controle de Tuberculose, Angela Maria Felix, o objetivo é reduzir a morbidade e mortalidade pela tuberculose no Estado, trabalhar os fatores de risco dando subsídios para as ações de controle.

“É uma atualização em Manejo Clinico da tuberculose de acordo com as recomendações do Ministério da Saúde, para que, na prática, os profissionais tenham maior atenção para essa doença e identificar os casos suspeitos para iniciar o tratamento com todas as orientações e fluxos corretos de atendimento”, disse a gerente.

Para os profissionais que atendem pacientes com tuberculose o dia tem sido de muita troca de conhecimento, entre os participantes. Para o médico infectologista José Rivaldo de Santana, que acompanha pacientes com tuberculose e HIV no SAE (Serviço de Assistência Especializada), o sentimento é de aprendizado.

“”Essa capacitação é importantíssima, a tuberculose é uma doença antiga e ainda está muito presente no nosso estado, principalmente entre imigrantes, população privada de liberdade e indígenas. Atuo diretamente com esse público e essa capacitação vai ajudar muito, tenho algumas dúvidas e espero sanar todas ao longo dia”, destacou o médico infectologista.

Um dos pontos principais da capacitação é a importância de conhecer os fluxos de atendimento para essas pacientes, que se dividem entre referência secundária, terciária, de internação hospitalar, além do acompanhamento diferenciado para pacientes com tuberculose e HIV/AIDS/Hepatites Virais.

“Conhecer as portas de entrada faz toda a diferença. Saber que se deve buscar primeiramente a atenção básica é importante, pois nas UBS são feitas a investigação dos casos, a busca ativa pelas pessoas com tuberculose que tiveram o contato com o paciente, para evitar que sejam futuros pacientes com a doença. Além disso, estamos trabalhando as condutas em casos especiais de tuberculose”, esclareceu a médica especialista em Pneumologia, Dra. Ana Lília Guimarães.

Profissionais da atenção básica dos municípios também serão qualificados

A capacitação foi dividida em três etapas. A quinta-feira foi dedicada a profissionais da rede hospitalar e, na sexta-feira, 19, é a vez da atenção básica dos municípios do interior. Na semana que vem, entre os dias 22 a 26, será a vez dos profissionais da Atenção Básica de Boa Vista.

Para o secretário de Saúde, Leocádio Vasconcelos, o trabalho da CGVS (Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde) por meio do Núcleo de Controle de Tuberculose, tem sido fundamental para o controle dos índices e fortalecimento das ações no Estado.

“O nosso trabalho é capacitar os municípios, realizar a distribuição de materiais educativos, dando apoio técnico, com orientações para o diagnóstico e acompanhamento de casos de tuberculose, visitas de monitoramento, distribuição de medicamentos, e muito mais que temos feito juntamente com o apoio e participação de todos os setores do Estado”, pontuou o secretário.

A tuberculose pulmonar, além de ser mais frequente, é também a mais relevante para a saúde pública. Dados do (Sinan) Sistema de Informação de Agravo de Notificação, mostram que em Roraima, no ano de 2020, foram notificados 307 casos novos da doença e, em 2021, até o momento, são 257 casos novos

“A tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível que pode afetar diversos órgãos, e quando descoberta de maneira tardia as chances de cura diminuem consideravelmente. Então, fique atento aos principais sintomas da tuberculose pulmonar, que são tosse por três semanas ou mais, febre vespertina, emagrecimento, cansaço e fadiga”, alertou o secretário.

Texto: Aymê Tavares
Foto: Ascom/Sesau

Deixe um comentário