You are currently viewing Denarium determina reabertura de ala covid-19 no Hospital Estadual de Retaguarda
Compartilhe

Em razão dos últimos relatórios da Coordenadoria Estadual de Vigilância em Saúde que comprovam o aumento substancial dos casos de covid-19 em Roraima, o governador Antonio Denarium determinou a reativação da ala do Hospital de Retaguarda destinada para o atendimento exclusivo de pacientes acometidos da doença.

Essa decisão foi tomada na manhã deste sábado, 15, em uma reunião com os gestoras da saúde estadual que expuseram ao governador os últimos números e demonstraram total preocupação com a evolução dos casos em Roraima.

Um fato que já é ponto pacífico é que o aumento se deu na sua grande maioria entre as pessoas que não se vacinaram e por isso que tiveram quadros com maior agravamento.

Para a coordenadora da Vigilância em Saúde, Valdirene Oliveira, o aumento de casos confirma a presença na nova variante Ômicron e demonstra a contaminação entre as pessoas que se recusaram ou não buscaram a vacinação.

“Nas últimas semanas houve uma evolução de uma média de 80 contaminados semanalmente para mais de 2 mil casos. Isso coloca todo sistema de saúde, em todas as esferas, em alerta. O governador Antonio Denarium assim que recebeu o relatório nos convocou imediatamente para redefinir as ações e garantir um atendimento rápido as demandas da população”, afirmou Valdirene, ao destacar a importância da vacinação como grande vetor de combate ao alastramento do vírus.

O governador Antonio Denarium ouviu atentamente aos médicos, gestores e técnicos que colocaram todas as possibilidades de atendimento à população e de imediato pediu um plano de ação que começa com a reativação da Ala de covid-19 do Hospital de Retaguarda.

O governador pediu a todos que não poupem esforços para garantir o atendimento total e com qualidade para a população, em especial na unidade que atenderá os pacientes com síndromes gripais.

“A estrutura do hospital está pronta e preparada para atender todos os pacientes que necessitam de cuidados e internações. O Hospital Estadual de Retaguarda está ativo e preparado para atendermos os pacientes que necessitarem de internações e cuidados avançados”, disse o governador.

Ele informou ainda, que enviou ofício a todos os prefeitos para que possam adotar medidas para reduzir o impacto dessa nova onda. “Peço a toda população do Estado que se vacine, tomem todas as doses necessárias para a total imunização. Juntos venceremos a guerra contra a covid-19”, declarou.

No ofício enviado às prefeituras, o Governo do Estado apresentou dados que auxiliaram na decisão da reabertura da ala destinada para pacientes com covid-19 no Hospital Estadual de Retaguarda. Conforme a CGVS, nas últimas semanas de 2021 houve aumento no número de testes RT-PCR, no entanto a circulação do coronavírus não era significativa e houve poucos casos confirmados, portanto, baixa positividade dos testes.

No entanto, logo no início de janeiro de 2022, houve um expressivo crescimento no número de casos confirmados de covid-19, fazendo a taxa de positividade, que no mês de dezembro era de 2,6%, saltar para 22,9% nos nove primeiros dias de 2022.

A análise de risco da CGVS aponta que o aumento substancial no número de casos é um indicativo de circulação da cepa Ômicron. Além disso, também aponta que a baixa cobertura vacinal para segunda dose e dose de reforço colaborou para o atual cenário.

Governo recomenda que prefeituras adotem medidas para frear contágio

O Governo do Estado recomendou às prefeituras a adoção das medidas básicas e transversais como a suspensão de atividades escolares presenciais, intensificação da vacinação contra a covid-19 e utilização de teste rápido antígeno (TR-Ag) e RT-PCR para diagnosticar ao invés de testes rápidos de anticorpos.

O Estado também recomenda que os municípios proíbam qualquer evento de aglomeração e mantenha o distanciamento social nos ambientes de trabalho das repartições e órgãos públicos.

Também foi recomendada a suspensão de atividades econômicas não essenciais, com limite de acesso e tempo de uso dos clientes e horários diferenciados nos setores econômicos para reduzir aglomerações nos sistemas de transporte público.

Texto: Isaque Santiago
Foto: Arquivo Secom

Deixe um comentário