You are currently viewing LUTA CONTRA AIDS | Especialista alerta sobre o risco da desinformação e a importância do apoio familiar
Compartilhe

Dezembro começa com uma data importante: o Dia Mundial de Luta contra a AIDS. E, nesta data, especialistas alertam sobre a importância da desconstrução do preconceito sobre as pessoas vivendo com HIV/AIDS, a importância de comportamentos seguros e o apoio familiar.

A médica infectologista Cassandra Loureiro Mangabeira, explica que o HIV continua sendo uma grande preocupação para a saúde pública mundial, mas que, mesmo assim, os avanços do tratamento nos últimos anos garantem uma maior qualidade de vida desses pacientes.

“A infecção por HIV se tornou uma condição de saúde crônica gerenciável, permitindo que as pessoas que vivem com o vírus tenham uma vida longa e saudável, com o avanço da ciência, os antirretrovirais são mais eficientes e tem menos efeitos colaterais trazendo melhor qualidade de vida. Neste momento, o que também precisa ser combatido é o preconceito sofrido pelos portadores do HIV/AIDS”, explicou a médica.

Realizar o teste rápido é a principal maneira de saber se a pessoa foi infectada com o HIV, e se, em caso positivo, quanto mais cedo tiver início o tratamento, maior será a expectativa de vida e menor o risco de transmissão.

“O preconceito cria uma barreira que torna cada vez mais difícil a vontade do paciente em procurar os serviços de saúde. Ele torna cada vez mais distante que as pessoas que mais precisam desse atendimento busquem pelo serviço, por isso é preciso que não falte apoio familiar e informação adequada”, enfatizou o governador Antonio Denarium.

Em Roraima tratamento completo pode ser feito de forma gratuita

Uma rede de apoio faz toda a diferença no tratamento e em Roraima a população pode ter acesso ao atendimento, desde a realização do teste rápido de HIV ao acompanhamento multiprofissional.

A gerente do Núcleo Estadual de Controle de DST/AIDS da Sesau, Sumaia Dias, explica que o primeiro passo é realizar o teste para diagnosticar o HIV, em alguma UBS (Unidade Básica de Saúde) ou no CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento), que funciona na  Avenida Ville Roy, 5820, de segunda a sexta-feira, das 7h00 às 18h00.

“A testagem é rápida para o HIV, sífilis, Hepatite B e C e funciona como estratégia preventiva e de autocuidado. O sigilo e o aconselhamento pré e pós-teste são garantidos e, para realizar, não é necessário qualquer tipo de preparação prévia”, destacou a gerente do Núcleo.

O CTA realiza, além da coleta e da execução dos testes, um processo de aconselhamento, para facilitar a correta interpretação do resultado e, para isso, a população pode contar com o acolhimento dado por enfermeiros, assistentes sociais e psicólogos, em caso de HIV positivo.

Já por meio do SAE (Serviço de Referência Especializado), que funciona no HCM (Hospital Coronel Mota), pacientes com HIV/AIDS e Hepatites Virais, encaminhados das UBS’s e do CTA, recebem um acompanhamento integral, por meio de uma equipe multidisciplinar.

“A Unidade conta com infectologistas, médicos clínicos, nutricionistas, psicólogos, enfermeiros, farmacêuticos, diversos profissionais que formam uma rede de apoio para esses pacientes, durante todo o tratamento”, completou a médica infectologista, Cassandra Loureiro Mangabeira, que acompanha pacientes com HIV, no SAE.

O secretário de Saúde, Leocádio Vasconcelos, destaca que é importante se atentar aos primeiros sintomas que são muito parecidos com os de uma gripe, como febre e mal-estar. Por isso, a maioria dos casos passam despercebidos.

“O Governo de Roraima por meio da Secretaria de Saúde está trabalhando diariamente para mostrar que o HIV pode ser evitado e tratado. A população também pode fazer sua parte com o uso de preservativo durante as relações sexuais, além de criar uma rotina de busca pelos testes rápidos em postos de saúde”, finalizou o secretário.

Texto: Aymê Tavares
Foto: Ascom/Sesau

Deixe um comentário