You are currently viewing SAFRA 2022 | Roraima avança na produção de grãos e irá ganhar selo único no mundo
Compartilhe

O significativo aumento da produção agrícola no Estado de Roraima é latente. Nos últimos anos o Governo do Estado de Roraima tem atuado sistematicamente para fomentar o plantio de grãos em todos os municípios. O setor atualmente gera cerca de 12 mil empregos diretos e indiretos.

O governador Antonio Denarium explica o cenário atual da agricultura no Estado. “O nosso apoio, principalmente para os pequenos produtores que operam em sistema agrofamiliar e indígena, foi o ponto primordial para que o nosso o incentivo chegasse para quem mais precisa. Além de atrair também novos investidores para o Estado, que trazem capital financeiro e expertise”.

O secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Aluizio Nascimento, comemora os indicadores de crescimento e concorda  com a importância do setor agro para o Estado.

“Em 2021, o Estado de Roraima produziu cerca de 80 mil hectares de soja, num total de 106 mil hectares de lavoura. Para este ano, a safra deve aumentar, para 200 mil hectares, dos quais 120 mil apenas de soja, um salto de 50%, em relação ao ano anterior”.

Nascimento ainda acrescenta que, o Governo de Roraima, atua de maneira ampla e entende que para crescer no setor agrícola, vários fatores devem ser levados em conta. “Como a segurança energética e a segurança jurídica, além disso, temos a nossa extensão técnica e também oferecemos crédito rural para os nossos agricultores. É por isso que os dados são tão promissores”.

Além de fortalecer o setor de grãos é importante destacar que este panorama leva a outro momento especial para o Estado, que é a preparação das outras cadeias produtivas que dependem do setor de grãos. Como é o caso da avicultura, da suinocultura e a própria piscicultura.

INDICAÇÃO GEOGRÁFICA

Segundo Aluizio, Roraima está prestes a vivenciar um momento ímpar: o Estado irá receber o primeiro selo de indicação geográfica do mundo. “A indicação geográfica irá certificar o que nós já sabemos e comprovamos em laboratório: a soja aqui produzida tem mais óleo e mais proteína. Tudo isso se dá por uma série de fatores predominantes da nossa incrível região. Principalmente mais luminosidade e, consequentemente, gerando mais fotossíntese e logo, mais óleo e mais proteína na soja plantada aqui”, frisou o titular da Seapa.

O agronegócio no Estado de Roraima passa a ser um ponto de alavanca, para outros setores. “A nossa ideia é agregar valor a nossa produção, não podemos ser apenas exportador de commodities. Podemos ter um setor industrial forte, um setor de serviços forte, melhorar e fortalecer ainda mais o setor comercial”, explicou o secretário.

PRODUÇÃO DE GRÃOS POR MUNICÍPIO

Soja: Alto Alegre, Bonfim, Boa Vista, Cantá, Mucajaí e Iracema.

Milho: Alto Alegre, Bonfim, Boa Vista, Cantá, Mucajaí e Iracema.

Arroz: Bonfim, Normandia, Amajari, Boa Vista e Alto Alegre.

Feijão: (safrinha): Alto Alegre,  Bonfim e Boa Vista.

FLORESTA PLANTADA

O investimento na indústria de florestamento ou reflorestamento é uma atividade recente em Roraima, mas que igualmente, representa um potencial atrativo para investimentos. Atualmente o Estado possui plantio de dendê e mogno africano.

“O setor se torna cada vez mais importante como matéria-prima para diversas indústrias que usam madeira serrada, extrativos de madeira, biomassa, celulose e madeira reconstituída. A região sul de Roraima atualmente se solidifica como um significativo polo de investimentos”, destacou o governador Antonio Denarium.

Dendê: 5000 mil hectares, capacidade de produção de 30 mil toneladas de biodiesel por ano.

Mogno Africano: 600 hectares.

Teca: 80 hectares de florestas plantadas.

Pau de Balsa: 50 hectares.

Texto: Cacau Bastos
Foto: Ascom Seapa

Deixe um comentário