You are currently viewing SAÚDE DO CORAÇÃO | Governo amplia estrutura para atendimento a pessoas com cardiopatias
Compartilhe

O Governo de Roraima está priorizando investimentos para melhorar a estrutura física e de atendimento da rede estadual de saúde. Nos casos de cardiopatias, um levantamento feito pela Secretaria de Saúde revela que, desde 2019 até 2022, as aquisições feitas pelo Governo foram importantes para ampliar o número de atendimento a pessoas afetadas por infarto e AVC (acidente vascular cerebral) no Estado.

Em 2019, o Estado voltou a oferecer aos pacientes com problemas cardíacos o procedimento de angioplastia. Cirurgia essa que não era feita desde 2014. O custo só da UTI aérea era de R$140 mil, com a cirurgia e a ajuda de custo do paciente e do acompanhante, o gasto por cirurgia não saía por menos de R$170 mil. Agora, cada cirurgia vai custar de R$20 a R$25 mil.

Em 2021, o Estado realizou, por meio do CDI (Centro de Cardiologia e Diagnóstico por Imagem), 2.288 atendimentos e 367 procedimentos cirúrgicos. Já no Hospital das Clínicas Dr. Wilson Franco foram realizados 580 exames de imagem que auxiliam a cardiologia, como cateterismo e arteriografia, e 327 cirurgias com a colocação de mais de 500 stents, pequenas próteses que são colocadas nas artérias.

Os investimentos feitos em recursos materiais e insumos foram aplicados mais de R$ 5,4 milhões. Já em equipamentos para a especialidade, o Governo aplicou R$ 5,7 milhões. Foram feitos ainda investimentos em mão de obra qualificada, a contratação do corpo clínico, por meio de seletivos. Além disso, foram ampliados os números de leitos de internação cardiológica.

Especialista em cardiologia, o médico Alisson Siqueira falou sobre a estrutura com a qual hoje os profissionais contam para melhor atender a população no Estado.

“Hoje nós contamos com aproximadamente 50 leitos de internação cardiológica no nosso Estado. Temos 30 leitos no HC e abrindo aproximadamente 20 leitos agora no HGR [Hospital Geral de Roraima] com a sua expansão. Também aumentamos a oferta do número de ecocardiograma em nossas unidades. Hoje temos o exame sendo realizado no HC, no HGR e também no CDI, onde realizamos aproximadamente cerca de 300 exames por mês”, declarou.

Alisson relatou que a estrutura atual de saúde tem condições de atender aos pacientes, que em anos anteriores eram encaminhados para outro Estado.

“Nos dois últimos anos também realizamos mais de 600 cateterismos, que são exames de diagnóstico invasivo para ver se temos obstruções nas coronárias. Destes 600 cateterismos, a nossa equipe realizou cerca de 500 angioplastias, ou seja, implante de 500 stents na nossa população, procedimento que até pouco tempo atrás tínhamos que encaminhar o paciente para fazer fora do nosso Estado”, revelou.

Mais medicamentos e mais equipamentos

Em dezembro de 2021, o Governo também investiu na compra de medicamento indicado para o tratamento do infarto agudo do miocárdio e mantém o estoque abastecido.

Além disso, o Governo adquiriu 12 aparelhos de anestesia com monitorização de agentes anestésicos; dois desfibriladores cardioversor, com funções adulto; 10 eletrocardiogramas; 54 monitores multiparâmetro, dois microscópios cirúrgicos, para uso em neurocirurgia no HGR; dois sistemas de cirurgias guiadas por imagens, Neuronavegador, e 30 desfibriladores, totalizando 114 equipamentos.

Contratou mais médicos especialistas. Atualmente, a Secretaria de Saúde conta com 15 cardiologistas e contratou mais sete através do seletivo, sendo que três são específicos de arritmologia, responsável pela realização do diagnóstico, prevenção e tratamento de pacientes com arritmia.

Alisson Siqueira destacou essa ampliação no quadro de profissionais e alertou sobre os cuidados que a população deve tomar com a saúde do coração.

“Tivemos ainda a contratação de novos colegas que chegaram ao nosso Estado reforçando o nosso time. Isso mostra o tanto que as doenças cardiovasculares impactam na nossa sociedade. Um terço das mortes são derivadas das doenças cardiovasculares. Então, devemos manter os nossos cuidados: não fumar, ter o controle adequado da hipertensão, o controle adequado do diabetes e o controle dos níveis de colesterol e triglicerídeo. Devemos ter hábitos de vida mais saudáveis, praticar atividade física e visitas regulares aos médicos”, aconselhou.

Texto: Wesley Oliveira
Foto: Ascom/Sesau

Deixe um comentário